EXO-CD24: Israel desenvolve possível spray contra a covid-19




    Pesquisadores do Centro Integrado de Prevenção do Câncer de Ichilov, de Tel Aviv, em Israel, desenvolveram um tratamento potencialmente eficaz contra a COVID-19. Chamado de EXO-CD24, a nova substância promete mudar a terapêutica de doenças que cursam com alterações imunológicas desfavoráveis, como a tempestade de citocinas mediada pela infecção pelo Sars-CoV-2. A droga, já estudada há décadas pelo grupo, já vinha sendo usada no tratamento de neoplasias ovarianas. No atual estudo, a substância foi administrada em pacientes acometidos pela COVID-19, cuja condição clínica era de moderada a grave, com o objetivo de modular a resposta inflamatória e consequentemente, evitar evoluções deletérias inerentes à hiperativação imunomediada relativa ao Sars-Cov2. Com o meio de administração através de spray nasal, a então denominada EXO-CD24 atua indiretamente contra os desfechos negativos da COVID-19, por meio da modulação da resposta inflamatória pulmonar evidenciada em alguns pacientes com evolução crítica. Como já sinalizado, objetivo da substância não é combater o vírus, mas impedir a deflagração da tempestade de citocinas para evitar a hiperinflamação e suas consequências potencialmente fatais. 

    Segundo o professor e pesquisador Nadir Arber, do Centro Integrado de Prevenção do Câncer de Ichilov, o spray nasal utiliza exossomos, um complexo lipoproteico multienzimático, para carregar a então denominada proteína CD24 até os pulmões. É essa molécula, que fica localizada na superfície das células, que deve ajudar a regular o sistema imunológico e interromper a hiperativação inflamatória responsável pela tempestade de citocinas identificada em pacientes com evolução crítica da COVID-19. 

    Como a tempestade de citocinas é a responsável pela evolução desfavorável em pacientes infectados, impedir sua ocorrência parece ser um caminho efetivo para redução de mortalidade. Atualmente, a única droga com eficácia comprovada na redução da morbimortalidade em paciente graves pela Covid-19 é a dexametasona, um anti-inflamatório hormonal que atua de forma sistêmica, modulando a resposta imunológica para evitar a hiperativação e consequente tempestade de citocinas. Entretanto, como se trata de um corticoide de ação sistêmica, os efeitos colaterais podem ser deletérios à saúde e trazer manifestações indesejáveis ou mesmo prejudiciais, especialmente em pacientes com múltiplas comorbidades ou que tenham contraindicações relativas à imunossupressão, bem como intolerância aos efeitos adversos por ocasião de patologias que fazem da droga uma medida proscrita. Nesse sentido, a EXO-CD24 representa uma alternativa favorável no tratamento desses pacientes. Visto que, além de não atuar de forma sistêmica, possui sitio de ação direcionado ao órgão alvo para o impedimento da síndrome respiratória grave: os pulmões. 

    O spray é administrado por via inalatória em dose única diária, a droga promete modular de forma pontual e focada nas células pulmonares sem causar efeitos sistêmicos de imunossupressão. Esse avanço tecnológico pode ser uma das respostas emergenciais capaz de poupar vidas nas enfermarias e unidades de terapia intensiva direcionadas aos pacientes infectados pelo Sars-Cov2.

Pages